Palavras do Professor Thomas E. Woods, autor do livro A Igreja Católica: Construtora da Civilização. Retirado do programa A Igreja Católica: Construtora da Civilização - O Sistema Universitário
Carlos Magno [742-814], o grande imperador do Ocidente, ordenou que as várias catedrais abrissem escolas. Após Carlos Magno, bispos do século IX, em conselhos locais da Igreja, pediram a abertura de escolas. Esta foi a grande era da prática de cópia de manuscritos em latim do mundo antigo.

Na realidade, os séculos VIII e IX viram os primórdios de uma espécie de renascimento cultural, que foi conhecido como o Renascimento Carolíngio, e aqui vimos a tentativa de trazer de volta o aprendizado e a cultura. E vemos, por exemplo, a prática de cópia de manuscritos, que é importante. Vemos, além disso, o desenvolvimento de algo chmado "minúscula carolíngia".

A "minúscula carolíngia" é um tipo de escrita. Antes da existência da "minúscula carolíngia", você veria escritos que só tinham letras, maiúsculas, e, se você recebesse um e-mail de alguém só com letras maiúsculas, você simplesmente não aguentaria olhar. É irritante, é difícil de ler, demora mais a escrever... Eles também não tinham espaços entre as palavras antes da "minúscula carolíngia", nem pontuação, então imagine só um grande bloco de letras maiúsculas! Dá muita graça ler...

Além disso, por causa de isolamento geográfico, pesoas desta parte da Europa em vez de desta parte, desenvolveriam sua própria escrita, que era, em grande medida, indecifrável às pessoas de outra parte da Europa. Ao passo que foram os monges que desenvolveram o que se chamou de "minúscula carolíngia". Minúscula porque ela introduziu a ideia de letras minúsculas, e também introduziu espaços entre palavras, pontuação, e constituiu uma escrita única, um tipo padronizado único de escrita, para que as pessoas pudessem viajar pela Eurpoa Ocidental e se entender umas às outras.


Resumindo: os monges do período carolíngeo foram vitais para nossa escrita moderna. Nos forneceram as letras minúsculas, quase que um segundo alfabeto, e as noções de espaço entre palavras e pontuação. Padronizaram a escrita, facilitando não apenas o entendimento mas a transmissão de conhecimento ao longo dos séculos.

Página de texto (folio 160v) de un evangelio carolingio (British Library, MS Add. 11848), escrito en minúscula carolingia. El texto es el Lucas 23:15-26 de una Biblia Vulgata.
Fonte: Wikipedia


0 Responses

Postar um comentário